Há uma mulher além da maternidade

Ser mãe é maravilhoso! De repente, tudo passa a girar em torno daquele novo ser que depende quase que exclusivamente dela. Mas é importante lembrar que a mulher que possui filhos também precisa ter uma vida independente das crianças, com sonhos, desejos e necessidades pessoais. Afinal, hobbies e paixões é o que nos move e nos faz sentir vivos.

A boa notícia é que dá para ser uma excelente mãe sem deixar de lado outras áreas da vida tão importantes quanto a maternidade.

Na prática, portanto, isso significa que você, mãe, não precisa desistir daquela viagem que tanto sonhou ou das aulas de dança que sempre quis fazer para cuidar dos filhos. Academia, aula de idiomas, pilates, até programinha com as amigas… Não há nada errado em deixar, nem que seja por pouco tempo, o lado mãe um pouco de lado e exercer o papel de mulher.

Na primeira viagem sem os filhos – Sabrina e Vinicius, hoje com 28 e 23 anos, respectivamente – quando eles ainda eram crianças, a pedagoga Silvana Tavares chorou muito, mas hoje não abre mão de fazer uma viagem com o marido pelo menos uma vez por ano sem eles.

“Nós gostamos muito quando eles estão conosco, mas é necessário. Dá um aperto no coração, mas depois passa. Não podemos parar de investir no relacionamento por conta deles. Uma vez fomos para um intercâmbio no Rio de Janeiro. Sabrina ficou com uma grande amiga, super de confiança. Eu chorei, mas ela nem ligou. Aí dá vontade de chorar mais. Já o Vinicius chorava muito, gritava, e olha que ele ficava com a avó. Mas eu saía assim mesmo, porque entendia que era importante para o nosso relacionamento”, conta Silvana.

Silvana aprendeu direitinho a lição. “Eu costumo falar que quanto mais os anos passam, mais temos que nos cuidar. Separo um tempo para fazer atividade física três vezes na semana, fazer as unhas, cuidar do cabelo”.

DESCUBRA:  Descubra as principais causas da incontinência urinária na gravidez

A pequena Valentina tinha apenas um ano e três meses quando a jornalista Carolina de Sá decidiu voltar a dançar, numa escola de dança bem próxima à sua casa. O compromisso – duas vezes por semana, das 20 às 21 horas – significava não estar com a menina próximo à hora de dormir, mas ela não “refugou”.

“Estava há mais de 30 anos sem dançar e demorei um pouco para retomar as atividades físicas depois da maternidade. A dança sempre foi minha arte, minha paixão. Quando descobri que tinha aula para adultos na escola que fica a dois minutos de minha casa, nada me segurou. E nisso já são quase três anos de retorno”, conta.

Saia com seu parceiro

Se conectar e se divertir com seu parceiro também faz parte dos cuidados com você. Faça um programinha a sós com ele, jantem, conversem, assistam a um filme ou façam algo que vocês curtam juntos. Nem sempre é necessário recorrer a uma babá, um vestido novo ou muito dinheiro. Alguns dos melhores encontros podem até acontecer em casa, basta colocar a criatividade e o romantismo em ação.

Viaje!

Nada como uma viagem para recarregar as energias, desligar a cabeça e aproveitar momentos especiais. O melhor de viajar a dois é poder fazer um roteiro mais livre, com mais abertura para improvisos e menos planejamentos. Acostume os filhos às viagens, diga que papai e mamãe vão, mas voltam e, enquanto isso, eles vão se divertir na casa dos avós ou dos tios.

Deixe as pessoas ajudarem

Parte do motivo de as mães não terem tempo é porque elas acreditam que precisam fazer tudo sozinhas. Não, ela não precisa nem deve fazer isso. Divida as tarefas para que o peso seja menor. Até os filhos podem ajudar dependendo da idade deles e dos afazeres. Aliás, as crianças também gostam de se sentir incluídas. Enquanto isso, aproveite para cuidar de você. Vá ao shopping, ao salão de beleza, ao spa, à academia, almoçar com as amigas… cuide de você sem ninguém por perto.

DESCUBRA:  Desejo de gravidez: o que suas vontades dizem sobre a gestação

Redescubra suas paixões

Relembrar as coisas que você mais gostava de fazer antes de dar à luz fará de você uma mãe ainda melhor. Pense no que você gostava de fazer quando criança. O que era divertido para você quando era mais nova? Suas atividades favoritas em família também podem se transformar em prazeres pessoais. Se gostam de montar quebra-cabeças, por exemplo, compre um só para você montar, ao som da sua música favorita.

Movimente-se

Pra quem quer colocar o corpo em dia e melhorar a saúde, nada como se matricular em uma boa academia. Mas só se matricular não adianta nada. É preciso ânimo pra não abandonar a malhação logo na primeira semana. A corrida é um esporte bem democrático: dá para correr em qualquer lugar, pelo tempo que for e não precisa gastar dinheiro. Mas o ideal é ter a ajuda de um especialista, pelo menos no início, para não acabar se machucando.

Fonte: Folha Vitória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *